Supermarketing30/6/2011

Economias e economias

Por Francisco Alberto Madia de Souza, diretor-presidente do MadiaMundoMarketing

"

 “Da luz apenas fogem os escaravelhos, os ladrões e os ignorantes.”

Paolo Mantegazza

Quando o mantra é o da economia e o corte de custos impera nas empresas o resultado final será, com sorte, calamitoso. Ao final do processo, se ainda sobrar alguma coisa em pé, o que sobrar carregará, para sempre, algum tipo de mutilação, defeito, desvantagem crônica e insuportável.

Existem empresas bem administradas e mal administradas. E apenas isso. Se mal administradas, e – independente de intempéries, sazonalidades, ocorrências –, precisam de correções radicais a qualquer tempo. Se bem administradas, nada a fazer que não seja dar sequência à boa administração.

A história do jovem que se diplomou em Universidade de prestígio nos EUA, como primeiro da classe, e retornou ao seu país, alertando seu pai, comerciante, sobre uma crise que se aproximava, é do conhecimento de quase todos. Diante da perspectiva da crise, o jovem recomendou ao pai que cortasse o mais rápido possível todos os custos. Inclusive e, principalmente, os da comunicação. Tratava-se de uma lanchonete à beira de uma estrada, e imediatamente todos os cartazes indicativos, à medida que os viajantes se aproximavam foram suprimidos. Assim como os comerciais nas rádios da redondeza, os pequenos anúncios nos jornais, a iluminação na fachada. E muito mais. Em pouco tempo a lanchonete fechou, mas o pai ficou feliz pelo conhecimento do filho que anunciara, com desnecessária e trágica antecedência, a proximidade da crise.

Corta e salta para 2011. Visita aos principais shopping centers da cidade de São Paulo, em domingos e feriados. Os shoppings abrem às 10 da manhã, mas, a maioria das lojas, só depois das 12 ou das 14 horas. E muitas das vitrines, permanecem às escuras. Economizam luz. Economizam? Quem sabe alguns reais na conta do final do mês. Reais esses que na conta total das despesas decorrentes da presença em um shopping são insignificantes. Mas não tão insignificantes na comunicação das lojas e dos produtos expostos nas vitrines. E as pessoas que passeiam pelos corredores são, literalmente, perdidas para esses comerciantes.

 

Se era pra fazer esse tipo de economia, o que foram fazer no shopping? E não se trata de pequenas lojas ou corredor de serviços. As grandes lojas, também. Quase todas. Depois, quando tudo está perdido, reclamam da crise e elogiam os profetas do apocalipse, primeiros alunos da classe de renomadas instituições de ensino.

 

 

e-mail: famadia@madiamundomarketing.com.br

portal: www.madiamundomarketing.com.br  

"

PRÊMIOS

EVENTOS

COPYRIGHT 2014 Revista Marketing - Todos os Direitos Reservados


Trentin Digital